O SINDAN e as indústrias de produtos para saúde animal associadas intensificam esforços para dar destinação correta às embalagens de produtos veterinários, ajudando, assim, a preservação do meio ambiente e cumprindo o seu papel como agentes de boas práticas.

A entidade assinará em breve termo de adesão ao projeto de logística reversa coordenado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). A legislação nacional estipula a reciclagem em 22% do total de embalagens de cada unidade industrial.

“A reciclagem é lei. E a obrigação é do fabricante”, enfatiza Ricardo Lopes Garcia, do Departamento de Desenvolvimento Sustentável da Fiesp, que foi ao Sindan falar para mais de 50 profissionais das associadas.

Pelo projeto, a reciclagem é feita por operadores credenciados. Um leilão define os valores cobrados pelo trabalho. Até o momento, cerca de 30 entidades de classe já participam da iniciativa, que conta com uma empresa intermediária para centralizar o processo, além de auditoria terceirizada, e segue todas as normas da legislação em vigor.

“O projeto da Fiesp é funcional e factível. O importante é que as indústrias associadas que se integrarem terão segurança jurídica em relação à logística reversa. Além disso, estamos contribuindo para a sustentabilidade do sistema”, ressalta o Presidente do SINDAN Elcio Inhe.

Pin It on Pinterest

Share This